Ilhas do Sul da Tailândia: Krabi e Koh Phi Phi

3 de julho de 2015
na categoria: Pelo Mundo
Ilhas do Sul da Tailândia: Krabi e Koh Phi Phi

Ilhas do Sul da Tailândia: Krabi e Koh Phi Phi

Depois de 5 dias em Bangkok, partimos rumo ao Sul da Tailândia cheios de expectativas e vontade de desembarcar naquilo que depois teríamos a certeza de que era o verdadeiro paraíso!

As ilhas situadas no Sul da Tailândia são certamente um dos destinos mais procurados por aqueles que visitam a Ásia.

Quando ir: Como falamos no post anterior, o Sul da Tailândia é banhada por duas costas diferentes: Mar de Anadaman e o Golfo da Tailândia. Reforçando a orientação anterior, a definição da costa será primoridial para se decidir quando ir, e assim evitar as tão temidas monções.

Mar de Andaman: Melhor período vai de Novembro a Abril

Golfo da Tailândia: Melhor período vai de Maio a Setembro

Como decidimos explorar a costa do mar de Andaman, fomos em Novembro/14. A nossa escolha se deu principalmente pelo desejo de conhecer as ilhas Phi Phi e mais precisamente Maya Bay (onde foram gravadas as cenas do filme – A Praia).

E agora…vamos às dicas???

Sul da Tailândia: Krabi e Koh Phi Phi em 7 dias

Como chegar: Para você circular pelo Sul da Tailândia, você terá que desembarcar em Krabi ou em Phuket. Isso porque se sua intenção é ir para Phi Phi, não terá outra opção de se chegar lá sem passar por essas duas cidades. Partimos do aeroporto antigo de Bangkok e vôos partem diariamente com destino ao sul da Tailândia. Voamos de AirAsia (existem outras companhias aéreas que fazem o mesmo percurso) e a duração do vôo foi de mais ou menos 2 horas.

Atenção: Ao comprar o seu ticket, atente-se para os serviços oferecidos e ao peso de sua bagagem. O valor final do seu bilhete aéreo vai depender do peso que você transportará e do interesse em adicionar algum serviço a bordo (lanche, bebidas, travesseiro e por aí vai).

Krabi ou Phuket???

Essa certamente será a sua dúvida! Ao pesquisar, cheguei à conclusão de que essa decisão dependerá do perfil do viajante. Phuket é uma cidade bem agitada onde as boates, festas e o clima de prostituição e algazarra podem incomodar aqueles que buscam paz e descanso, mas também satisfazer aqueles que procuram se aventurar nesse agito. Já Krabi, tem um clima mais sossegado, cercado de bares e restaurantes na praia de Ao Nang – a principal da província, mas existe a possibilidade de se refugiar um pouco mais próximo à natureza ao optar ficar em Railay Beach, como fizemos.

Optamos por ficar em Krabi considerando nossos interesses e tenho a certeza de que foi a melhor decisão tomada. E agora??? Vamos ao nosso roteiro?!

Dia 1: Ao Nang

Chegamos no período da tarde no aeroporto de Krabi. Ao sairmos, compramos um ticket de translado vendido no próprio aeroporto e embarcamos rumo ao hotel de ônibus. Não percebi a presença de táxis e todos que desembarcaram fizeram exatamente a mesma coisa que nós. Optamos por ficar dois dias em Ao Nang para curtir um pouco aquela região, no hotel – Vogue Resort & Spa Ao Nang. Hotel maravilhoso, super bem localizado e muito confortável. Este hotel também foi reservado no site hotéis.com.

Como chegamos à tarde, fomos conhecer a praia e deu tempo de pegar o pôr do sol. Aquela cena já demonstrava um pouquinho do que estava por vir. Em Ao Nang você terá uma opções para hospedagem e restaurantes com vários tipos de gastronomia, embora não seja a praia mais bonita da província. As ruazinhas são uma graça e vale muito a pena sair andando e curtir toda atmosfera e energia daquele lugar. Aqui vimos inúmeras barracas com a tão famosa (e não é por menos) massagem Tailandesa. Daqui saem também os passeios para Hong Island, Four Island Tour e Phi Phi.

1

Conseguimos chegar a tempo de ver o pôr do sol

Dia 2: Ao Nang

Optamos por alugar uma moto para explorarmos um pouco as praias mais afastadas e se perder….sim! porque se perder em um lugar desses não é nada mal e sair assim sem rumo também tem as suas gratas surpresas!

Retornamos à Ao Nang e fomos passar o resto do dia em uma praia vizinha, onde fica o hotel Centara Grand Beach Resort. O acesso pode ser feito tanto por trilha (aprox. 30 min) como por longtail (os barquinhos Tailandeses). Essa praia não tem a mesma estrutura de Ao Nang, existindo somente esse hotel, mas o acesso é super tranquilo.

2

Ao fundo: Centara Grand Beach Resort

Optamos por retornar pela trilha e tenha muito cuidado com os macacos! São inúmeros que se aglomeram especialmente nesse trecho e no canto esquerdo da praia de Ao Nang. Vimos vários dando o “bote” atrás de comida. O problema nesses casos não é nem roubar a comida, e sim celular e documentos. Os macacos não são agressivos, mas são bastante rápidos, portanto…atenção!

Dia 3: Railay Beach

Quando decidimos ficar em Krabi, vislumbramos na verdade a permanência em Railay Beach, que pertence a província, mas tem um ar ainda mais rústico e digamos…selvagem. Chegamos até Railay de Longtail na parte da tarde, em uma travessia de aproximadamente 20 minutos e partimos da praia de Ao Nang. A região é dividida em dois lados: Railay West e Railay East. Na parte West é onde tem a praia e na East se concentram alguns bares e restaurantes (nada luxuoso, mas super agradável) e é uma área tipo manguezal. Quando a maré baixa (no meio da tarde), forma-se uma extensa faixa de mangue.

Ficamos no hotel Railay Bay Resort and Spa e sua extensão vai da parte West até a East. Hotel grande, confortável, bonito e com muitos quartos que mais parece um grande condomínio com várias casinhas. Aqui presenciei um dos mais bonitos céus em toda minha vida! Uma verdadeira obra de arte!!!

3

Ainda deu tempo de pegar uma prainha! Esse é o lado West de Railay

4

Entardecer em Railay Beach!

Dia 4: Phranang Cave Beach

Essa praia fica bem próxima a Railay e também pertence à província de Krabi. Seu acesso se dá pelo canto esquerdo da costa East e placas indicam o caminho…o percurso é bem rápido e fácil. Esse é um bom ponto pra escaladas e é nessa praia que fica um altar com oferendas para satisfazer o espírito de uma princesa…então tá né?! rs5

Praia de Phranang Cave Beach

6

Altar com oferendas para o espírito da princesa

Neste mesmo dia negociamos o passeio com um barqueiro para o tour pelas 4 ilhas ou também chamada de Four Island Tour. São elas: Poda Island, Chicken Island, Tup Island e Phranang (sim… pra tornar o passeio mais atrativo, algumas agências incluem essa parada como a quarta).

Dica de Ouro: É muito mais vantajoso fechar o passeio diretamente com os barqueiros. Isso porque conseguimos personalizar o passeio, negociar o tempo de permanência em cada parada e principalmente negociar preço. Consegue-se barganhar tranquilamente o valor do Longtail para um passeio de 4 horas de duração. Lembrando que esse passeio pode ser feito também partindo de Ao Nang.

7

Tour pelas 4 ilhas – Tup Island

8

Chegando à Poda Island

Dia 4: Hong Island

No dia seguinte, fechamos na mesma praia de Phranang um outro passeio, agora para as Ilhas Hong – Paradise, Hong, Lagoon. As ilhas Hong são formadas por um grupo de ilhas que não são habitadas e são abertas somente para visitação, o que confere um ar ainda mais selvagem para aquela região.

9

Paraíso!!!

10

Lagoon Island

A grande vantagem de fazer esses passeios com barqueiro, é que se você gostar mais de uma região e quiser esticar um pouco mais, isso é possível. O mesmo vale para aquela parte que não te desperte tanto interesse (embora seja difícil). Em alguns pontos vimos as chegadas de excursão e definitivamente não dá! Mas volto a dizer que essas decisões partem muito do perfil do viajante.

Depois de mais ou menos 6 horas de passeio, retornamos à Railay para curtir o hotel e fomos comer um pizza (já não aguentava mais comida apimentada…rs). Certamente um dos grandes baratos dessas viagens, é você conhecer e poder trocar um pouco com pessoas do mundo inteiro…experiência riquíssima!

11

Descansando em Railay

Dia 5: Koh Phi Phi

Ahhhhh finalmente chegamos à Koh Phi Phi!!! 10 em cada 10 matérias ou notícias relacionadas ao turismo no Sul da Tailândia referem Phi Phi como o grande destaque. Partimos de Railay em direção à Phi Phi de ferrie no início da tarde. Os tickets podem ser comprados no próprio hotel ou em agências locais.

Phi Phi é dividida em duas regiões: Phi Phi Don e Phi Phi Leh. Em Phi Phi Don encontramos os hotéis, restaurantes, bares e toda vida da região, além do pier de Ton Sai Bay. Já em Phi Phi Leh não, mas isso não o torna menos atrativo ou interessante, é em Phi Phi Leh que fica Maya Bay, região que ganhou grande notoriedade depois que estrelou no cinema juntamente com Leonardo di Caprio o filme – a Praia. Apesar da grande descoberta deste paraíso, a ilha depois de exibida mundialmente foi invadida por turistas e se tornou um local super cheio.

Dica de ouro: Aqui mais do que nunca recomendo o aluguel de um longtail. As pessoas chegam à essa praia em bandos e isso certamente afetará todo o seu encanto pelo local.

12

Como chegamos à tarde em Phi Phi, curtimos uma praia por ali mesmo…

Phi Phi também possui uma vida noturna bem agitada. Com bares, apresentações de malabares, shows de bandas diversas e torneios de Muay Thai. Para aqueles que desejam mergulhar, diversas opções de agência encontramos lá.

Dia 6: Maya Bay

Fechamos com um barqueiro no dia em que chegamos na ilha, nossa visita à Maya Bay no outro dia. Como estratégia, optamos por sair bem cedo do píer de Ton Sai para evitarmos as multidões que invadem o local. Quando digo que saimos cedo, foi beeeem cedo mesmo, tipo: 5h da manhã (ainda estava escuro). O tempo de travessia é relativamente rápido e ainda conseguimos acompanhar o amanhecer a caminho daquele lugar divino.

13 Maya Bay e seu mar de cor única!

15

De tirar o fôlego!

Embora seja proibido dormir na ilha desde o episódio do Tsunami, vimos algumas pessoas acampadas na região. Tocando nesse assunto, todas as ilhas são sinalizadas com as rotas de fuga para tsunamis. Não custa nada observar e identificar essas placas, não é verdade!?

16

Todos os lugares têm suas rotas de fuga devidamente sinalizadas

Ficamos por volta de 2 horas em Maya Bay e fomos percorrer as demais ilhas da região, como: Monkey Island, Bamboo Island, entre outras…

17

Bamboo Island

34

Água Cristalina!!!

20

Monkey Island

Retornamos à Phi Phi depois de 6 horas. Esse passeio super recomendo! Não existe a possibilidade de você ir até lá e não conhecer esses lugares com águas incríveis, energia maravilhosa e natureza presente. Durante os trajetos de uma ilha para outra, os barqueiros (que conhecem aquele lugar como a palma das mãos), param em pontos estratégicos para mergulho. Certamente o Sul da Tailândia foi um lugar que me marcou profundamente.

Quando desembarcamos no píer, fomos para o View Point…placas indicam como chegar até lá.

22

O View point também é rota de fuga para alertas de Tsunami

23

De um lado fica Ton Sai Bay e do outro Loh Dalam Bay.

Analisando a imagem acima, conseguimos entender porque Phi Phi foi devastada pelo Tusnami. Mesmo diante dessa tragédia, a região conseguiu se reerguer e tirar ensinamentos desse episódio. De povo super acolhedor e beleza que dispensa comentários, esse lugar ganhou ainda mais minha admiração!

Dia 7: Koh Phi Phi – Phuket

A distância de Phi Phi para Krabi ou Pkuket é praticamente a mesma. São essas duas cidades que você se direcionará para pegar seu vôo de volta, uma vez que Phi Phi não possui aeroporto.

Escolhi como cidade de regresso Phuket, porque partindo dessa cidade meu vôo seria direto para Dubai, sem necessidade de parada em Bangkok. O vôo saindo daqui foi um pouco mais caro do que seria partindo de Krabi, mas mesmo assim valeu mais a pena.

O seu ticket do ferrie pode ser comprando no próprio hotel ou nas agências e a duração da travessia é de mais ou menos 2 horas.

E você? Já foi pra Tailândia? Compartilhe conosco a sua experiência!

, , , , , , , , , ,
Maria Clara

Enfermeira de formação e viajante por vocação. Gosto das coisas simples da vida…boas risadas, boas companhias e boas histórias. Buscando isso, sempre me jogo para novas experiências e descobertas seja qual for o destino. Não se precisa de muito pra ser feliz!

Veja meus outros posts

6 comments on “Ilhas do Sul da Tailândia: Krabi e Koh Phi Phi”

  1. felix disse:

    os barcos que fazem a conexao entre krabi e phi phi rodam o tempo todo?
    onde consigo ver os horarios de partida? pretendo chegar muito cedo

    1. Maria Clara Maria Clara disse:

      Ola Felix!

      Os Ferrys partem 2 vezes por dia, mas tudo dependerá das condições climáticas. A primeira partida se dá pela manhã…costuma ser entre 08h e 10h (também optamos por pegar o primeiro)
      Como disse, as condições climáticas influenciam muito na partida dos ferrys e inclusive no tempo de travessia (que dura por volta de 1:30h).
      Comprei o meu ticket na própria recepção do hotel e creio que os demais trabalhem da mesma forma. Ao embarcar, os entreguei para uma pessoa identificada do ferry e nossa chegada se deu através de long tail (aqueles barquinhos tailandeses). Isso porque em Railay Bay não possui porto.

      Ah! Saimos de Railay Bay (o ferry parte de Ao Nang e passa em Railay)

      Espero que tenha te ajudado e desde já desejo uma ótima viagem! Vc vai amar

      🙂

  2. Simone Nissola disse:

    Ola Maria Clara,

    Gostaria de informações sobre o comércio de moda praia em Krabi e Phi Phi, o que me diz vale a pena?

    1. Maria Clara Maria Clara disse:

      Oi Simone!!!

      Tanto em Kabri (mais precisamente em Ao Nang) quanto em Phi Phi, tem comércio de moda praia sim. São peças mais simples, porque ficam em comércio de rua a preços mais atrativos. A Tailândia é um destino barato em serviços e produtos, logo a parte de vestuário também tem um preço bom.

      Espero ter te ajudado! 😉

      Bjsss

      Maria Clara

  3. Alfredo Jose Ferreira disse:

    Bom dia,

    Estarei em Ao Nang de 27 a 30/11. Como fazer para ir de lá para Phi Phi. E de ferry que podemos ir , correto? e pq estaremos com malas. Nao e Long Tail nao certo?

    Alfredo – RJ

    1. Maria Clara Maria Clara disse:

      Desculpe Alfredo. Acho que vi seu email um pouco tarde. Espero que tudo tenha dado certo! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *