Tailândia: Roteiro de 5 dias em Bangkok

19 de abril de 2015
na categoria: Pelo Mundo
Tailândia: Roteiro de 5 dias em Bangkok

Tailândia: Roteiro de 5 dias em Bangkok

Depois de 4 dias em Dubai, finalmente partimos rumo à Tailândia! Como dissemos no post anterior, o tempo de viagem de Dubai à Bangkok é de 6 horas.

A Tailândia é o país do Sudeste Asiático que recebe o maior número de turistas. Mas também pudera né? Cidades riquíssimas de cultura e história, povo super acolhedor e simpático e ilhas paradisíacas, não é muito difícil de saber o porquê. Ahhhh sem contar que a Tailândia é um país super barato!!!

Então, vamos às dicas????

Informações Gerais:

Fuso Horário: + 10 horas

Quando ir: Se no seu roteiro estiver previsto visitar as ilhas do sul da Tailândia, é importante saber que ela é banhada por duas costas diferentes: De um lado o Mar de Andaman (Phuket, Krabi, Koh phi phi…) e do outro lado o golfo da Tailândia (Ko Samui, Ko Tao…). As monções aparecem em momentos diferentes em cada costa e para quem não sabe o que são monções, são ventos sazonais acompanhados de chuva. Quando digo chuva, são chuvas torrenciais que costumam durar dias e dias e dias. Certamente você não quer cruzar o mundo para ficar dentro do hotel, não é verdade?

  • Mar de Anadaman: Fui em Novembro. O melhor período para ir é de Novembro a Abril.
  • Golfo da Tailândia: Melhor período é de Maio a Setembro.

Visto: Brasileiros não precisam de visto

Moeda: Baht

Língua: Tailandês. Ao contrário de Dubai, o inglês não é compreendido tão facilmente, mas você conseguirá se comunicar.

 E pra esquentar, vamos explorar esse lindo país começando pela sua capital??? 

BANGKOK – 5 dias

Vôo: A cidade possui dois aeroportos: O novo e o antigo. Partimos de Dubai rumo à Bangkok pela companhia Emirates. Desembarcamos no aeroporto novo (onde recebe a maioria do vôos internacionais) e não se preocupe: Existe uma oferta bem grande de táxis a uma tarifa justa.

Hotéis: A mesma preocupação em escolher o hotel é aplicado a qualquer lugar do mundo que você for e não foi diferente na Tailândia. Após pesquisas, análise de avaliações feitas por hóspedes e todas aquelas variáveis já mencionadas anteriormente, optamos por ficar no Navalai Riverside.

Dica:
Bangkok é uma cidade com um trânsito caótico. Com o excesso de carros e tuk tuks, certamente será vantajoso pensar em outras opções de locomoção. O hotel onde ficamos fica à beira do rio principal que corta boa parte da cidade – o Rio Chao Phraya.

O Rio Chao Phraya possui uma balsa que passa em horários definidos e tem estações que te levam aos principais pontos turístico da cidade, como por exemplo: Grand Palace, Wat Arun e Wat Pho.

O que fazer: Bangkok tem uma diversidade de atividades a serem feitas. São palácios, monumentos, noitadas, restaurantes e outros passeios que conferem a essa cidade um ótimo destino a ser considerado em seus planos!!! Tudo vai depender do perfil do viajante.

Dia 1: Chegamos no meio da tarde e fomos direto para o hotel localizado em Riverside. Do aeroporto até o hotel, demoramos por volta de 40 minutos.

Fizemos o check in, nos acomodamos e fomos para a rua já à noite. Nosso hotel ficava estrategicamente a 5 minutos da famosa rua Khao San Road. Para quem não conhece, esse lugar é a meca dos mochileiros que vão à Bangkok. Essa rua é bem extensa e possui uma diversidade de albergues, restaurantes, bares, comidas, barraquinhas vendendo tudo que você puder imaginar. Talvez isso torne o lugar tão especial…São pessoas do mundo todo!!!! Parece que todos que estão em Bangkok se encontram ali.

Dica:
O hotel em que ficamos fica fora dessa rota, mas tranquilamente perto (cerca de 5 minutos). Para quem quer curtir o agito, mas também quer dormir tranquilamente, minha dica é essa! Fique fora da rua, mas se hospede perto. Isso porque a região não pára!!!

 

11156416_854616104603879_318630342185168637_n[1]

Khao San Road à noite

10338348_854615537937269_4559070325646195327_n[1]

Quando digo que vende de tudo é porque vende de tudo mesmo!

Dia 2: Planejamos para esse dia a visita aos templos: Grand Palace e Wat Phra Kaew (Buda de Esmeralda). Eles ficam um ao lado do outro e você consegue fazer os dois no mesmo dia. Como ficamos em Riverside, na frente do nosso hotel tinha uma estação de balsa e descemos na estação Tha Chang.

Dica de Ouro:
Ao se aproximar da entrada do palácio, você poderá será abordado por pessoas com crachá (não dá para entender o que está escrito) que lhe dirão que o monumento está fechado. Inúmeros são os motivos: Almoço, feriado, manutenção, não abre naquele dia, entre outros. Em “troca” eles te oferecem outros passeios, inclusive com os tuk tuks. Isso não teria nenhum problema se não fosse mentira! Não caia! Na dúvida, certifique-se da informação na entrada do palácio.

Ignoramos a abordagem e seguimos em frente. Ao chegar na entrada, adivinhe o que aconteceu?! O Grand Palace estava abertíssimo! Compramos nosso bilhete e fomos conhecer aquele lugar lindo e cheio de histórias!

Dica:
Tenha sempre em mãos uma garrafa de água, um chapéu e use protetor. O calor e o sol, mesmo para aqueles que residem no Rio de Janeiro, são de matar. Use roupas confortáveis porque o lugar é muito grande e você andará muito. É proibido entrar de ombros e pernas de fora, por isso invista em tecidos leves! Ah, importante chegar cedo, porque o lugar fica lotadooooo.

 

 

10366209_854615564603933_5679472361122367466_n[1]

Entrada do Grand Palace – Do lado de fora já temos uma noção da dimensão do local.

11159531_854615601270596_3576644683751250366_n[1]

É no Grand Palace que acontecem os eventos oficiais do rei e sua família

O templo do Buda de Esmeralda fica junto ao Grand Palace, você só pode entrar descalço e é proibido tirar fotos . O único que pode chegar perto e tocar o buda é o rei.

Mesmo que o seu tempo de permanência em Bangkok seja curto, esse é um passeio imperdível. O lugar é riquíssimo em detalhes, com construções lindas e ornamentos fantásticos!

 

11156334_854615634603926_866385716311179568_n[1]

Grand Palace

Nosso passeio neste ponto turístico durou cerca de 4 horas. Tudo feito sem pressa…só curtindo o visual, sentindo a energia e registrando os melhores ângulos.

Ao sair do Grand Palace, um cidadão local nos abordou e começamos a bater papo. Resumo da ópera: Esse rapaz muito simpático (assim como a maioria dos Tailandeses) nos deu várias de dicas de lugares para conhecer. Paramos um tuk tuk (esse transporte é bem comum na região) e apontamos no mapa onde queríamos ir. Essa é uma alternativa de transporte a um custo baixo e te permite reparar mais os detalhes da cidade… Gostamos muito. Fomos ao The Golden Mount. Esse lugar fica no topo de um morro, onde você tem uma vista privilegiada da cidade. Dentro tem vários altares com budas, sendo este um lugar muito utilizado para as pessoas fazerem suas orações.

 

11164791_854615684603921_3308580476752258788_n[1]

Vista do “The Golden Mount”

Dia 3: Fomos ao mercado flutuante (fechamos esse passeio em uma agência). Trata-se de um lugar onde vende especiarias, souvenirs, roupas, alimentos, entre outras coisas no meio de um rio. Do hotel ao mercado, demoramos cerca de 1h30´de van. Na entrada do mercado, entramos em um barco e começamos a travessia.

 

11159558_854615724603917_2625433966939890966_n[1]

Comprando umas muambas no Mercado Flutuante

À noite voltamos à Khao San Road e finalmente tive coragem de fazer aquela massagem nos pés onde os peixinhos ficam “sugando” seus dedos. Tive uma crise de riso! Não consegui … Senti muita cosquinha e nervoso. Deus me livre!!!!!

11149524_854615771270579_6269639965560092348_n[1]

Me concentrando pra não soltar uma bela gargalhada

Dia 4: Fomos à Kanchanaburi, que é a terceira maior província da Tailândia. O lugar é conhecido pela famosa Ponte do Rio Kwai, onde foi construída a ferrovia que liga a Tailândia à Birmênia. Conhecida como ferrovia da morte, vários prisioneiros de guerra trabalharam, sob o domínio japonês, nessa construção e a ferrovia ficou conhecida assim porque milhares de prisioneiros morreram por diversos motivos, dentre eles: doenças, maus tratos, fome…A ponte foi destruída durante a guerra, mas depois foi reerguida. Hoje em dia é quase uma parada obrigatória pra quem visita a Tailândia.

A região de Kanchanaburi conta com um museu e um cemitério impecável que abriga os prisioneiros de guerra. Nos impressionou a forma com que os Tailandeses cuidam desse cemitério…muito cuidado e capricho!

 

11138599_854615824603907_1449084723712100572_n[1]

Cemitério de Kanchanaburi onde abrigam os prisioneiros de guerra: Muito bem cuidado

11150194_854615851270571_1244990161877092171_n[1]

Museu de Guerra de Kanchanaburi

Após andar cerca de 1h30′ no trem que passa em cima da ponte do rio Kwai, almoçamos em um vilarejo, passeamos de jangada em um rio da região e depois fomos andar de elefante, que por sinal eram muito bem tratados. Trajeto curto e em horários específicos.

11134156_854615907937232_5045996461641158071_n[1]

Nossas amigas Filipinas 🙂

Dia 5: Último dia em Bangkok. Teríamos a manhã toda livre porque nosso vôo rumos às ilhas, partiria somente no final da tarde. Nos programamos para visitar os dois templos que ainda não tínhamos conhecido: Wat Po (onde tem o grande buda deitado) e Wat Arun. Utilizamos novamente como transporte a balsa. Muito rápido de se chegar

 

11152702_854615957937227_5518680535435468178_n[1]

Templo do buda deitado: Estátua coberta de folhas de ouro

O templo de Wat Arun fica do outro lado do rio, na mesma direção do Wat Pho. É só pegar um barquinho na mesma estação do desembarque e a travessia entre os dois templos é feito em horários regulares.

O Wat Arun é um monumento que você sobe até o seu topo pela área externa por escadas muito íngremes. Em seu topo você pode ter uma bela vista do rio e da cidade.

 

11178235_854616024603887_5273723480784077539_n[1]

Wat Arun: Escadaria que leva ao topo do templo

Depois desse esquenta, que tal seguirmos rumo às paradisíacas ilhas Tailandesas???

Maria Clara

Enfermeira de formação e viajante por vocação. Gosto das coisas simples da vida...boas risadas, boas companhias e boas histórias. Buscando isso, sempre me jogo para novas experiências e descobertas seja qual for o destino. Não se precisa de muita coisa pra ser feliz!

Veja meus outros posts

4 comments on “Tailândia: Roteiro de 5 dias em Bangkok”

  1. maria eduarda disse:

    tia,adoooro seu blog,parabéns!!!

  2. Danielle Macedo disse:

    Clarinha parabéns !
    Linguagem simples, boas explicações e ótimas dicas.
    Bjs

  3. Angela Castro disse:

    Oi Maria Clara. Estou programando uma viagem para Tailândia, Vietnam e Laos sem excursão. Apesar de já ter viajando muito a barreira da língua me assusta. Vou só eu e meu marido. Estou pesquisando sites e blogs e já anotei suas dicas. Se você tiver mais informações como nome do hotel, transporte aeroporto-hotel, restaurantes, serão bem vindos.
    Abraço

    1. Maria Clara Maria Clara disse:

      Olá Angela! Não tive problemas com a língua…o Inglês é bem compreendido principalmente nas áreas mais turísticas. O hotel em que fiquei foi o Navalai River Resort – acertei muito na escolha e super recomendo pelos seguintes motivos: É super perto da agitada Khao San Road, dá pra ir andando, mas não se preocupe pois mesmo perto dessa região, o local do hotel é super tranquilo. Em uma área ao lado do restaurante do hotel (que fica em frente ao Rio Chao Phraya) existe um ponto de parada das balsas que fazem os trajetos para os principais templos da região. Considerando o trânsito caótico da cidade, essa é uma ótima alternativa para chegar rápido a esses pontos. Quanto ao trajeto do aeroporto – hotel, fizemos de táxi. Não vimos tantas outras possibilidades que pudessem compensar. Para trajetos curtos onde a balsa não passe (pois pra mim é a melhor opção de transporte da região), os Tuk Tuk funcionam e também vale a pena experimentar esse transporte tão popular desse país 🙂 Os restaurantes me preocupavam um pouco, pois tinha receio dos condimentos utilizados nas comidas, mas optei por peixes, nuddles e outras coisas mais comuns. Na Khao San Road existem várias opções legais. É muito legal ver aquele movimento todo, aliás são pessoas do mundo inteiro ali. Recomendo o The Macaroni Club, pratos saborosos e uma decoração linda.
      Espero ter ajudado Angela! ;D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *